terça-feira, 6 de outubro de 2009

Breve dia

Na manhã não vejo tarde
Na tarde não vejo manhã
Na noite não vejo nada!

Os dias passam despercebidos
O sol não enxerga seu brilho
O céu não percebe seu fulgor

Suspiro

Dos dias não resta mais nada

Restam as noites
Sonolentas e soturnas noites

2 comentários:

Anaaa Car°l disse...

Eeeeee!

Ótimo!

Me faz filosofar também!^^

Beijuu

Anônimo disse...

cantar...i cantar...i cantar... na beeleza de ser um eterno aprendiz...